terça-feira, 11 de setembro de 2012

Falta de respeito do ser humano.

 

Bom dia amigos de luta. Espero e desejo um dia maravilhoso para todos nós.

Eu ando  meio angustiada, por motivo pessoal. Repensando a minha vida e minhas atitudes e valorando.

Há muito tempo que eu larguei de mim para pensar na família, mas infelizmente eu falhei nessa empreitada. Não soube e não consegui criar meus filhos como eu queria e para o marido a minha dedicação se faz diferença é algo que lhe é interno.

Entretanto sou uma pessoa que gosta e necessita de ser valorizada por tudo que faz e a falta disso tem me deprimido.

Atualmente o ser humano vale apenas pelo dinheiro que ele recebe e se ele não tem essa meio de valoração ele não valhe nada.

Para se ter uma exemplo da falta de respeito e educação de um filho adolescente, eu levantei mais cedo e fui meditar no tapete da sala. Estava quietinha sentada e de repente eu levei um baita esbarrão nas costas, meu filho indo para a cozinha. Continuei sentada tentado me restabelecer do tamanho da falta de educação dele, quando veio para a sala e ligou a televisão. Eu não aguentei e perguntei: Você não está me vendo aqui? ele falou: porque não vai para o seu quarto. Eu respondei: porque eu estou aqui e você ligar essa televisão é uma tremenda falta de educação e respeito. Ele falou vá para o seu quarto, eu falei “eu estou aqui!”. Daí ele desligou a televisão e foi para o quarto dele.

Nossa gente, eu sei que a maioria dos filhos adolescentes são assim, mas tem hora que  acho que não estou passando nada para ele, pois não consegui ensina-lo o princípio básico do ser humano: respeito ao próximo. Eu fico a me questionar, e sinto muita dor, é que se ele não respeita a mãe, ele vai respeitar quem???. Eu faço uma autoanalise e vejo que eu sempre procurei respeita-lo e ensina-lo a respeitar os mais velhos e eu sou uma pessoa mais velha. As vezes acho que nem amor eu consegui transmitir para ele.

Hoje eu vejo que as pessoas não se respeitam. Isso é muito triste.

A minha solução é continuar, afinal, ele é meu filho, e Deus me emprestou para cria-lo, mas como é difícil.

Não vou desistir do meu filho, não vou desistir de mim, não vou desistir da minha família, mas é tudo muito dolorido.

É por isso que as famílias estão em extinção, afinal, é muito mais fácil pular do barco do que continuar remando.

 

Em busca do equilíbrio!

BALANÇA.pic

 

 

http://comomelhorlogoemagreco.blogspot.com.br