quinta-feira, 11 de julho de 2013

PARA ALÇANCAR O EQUILIBRIO É NECESSÁRIO PACIÊNCIA, PERSISTÊNCIA E DETERMINAÇÃO.

 

meditação

 

 

Hoje eu acredito que alcancei o meu equilíbrio mental e físico. A meu ver os dois estão interligados. Quem tem excesso de peso ou é por problema psicológico ou orgânico. Portanto, quando encontramos o nosso equilíbrio mental, automaticamente o nosso peso vai se estabilizando.

 

A nossa mente é o que determina o nosso modo de ser, da nossa maneira de agir. No entanto, nós somos donos da nossa mente, consequentemente, somos nós que mandamos nela. Essa história de dizer: “somos assim mesmo e não vamos mudar”, não dá para aceitar. Você não muda porque não quer, isso é fato. Também não podemos usar a frase gorda do tipo: “minha vó era gorda, minha mãe é gorda, meu pai é gordo, eu vou ser gorda também”.

 

Não há duvidas de que somos formados por uma carga genética e que também a obesidade tem um fundo genético. Entretanto, da mesma maneira que há pessoas que tem predisposição genética para ter diabetes outras tem para ser obesos, ou alcoólatras ou viciados em cigarros. No entanto, já sabemos que mesmo uma pessoa que tem predisposição para ser alcoólatra, e se transformar em um, ela poderá mudar esse quadro por meio de tratamento, o qual será indicado individualmente por um profissional capacitado. Desta maneira, não é porque “virou” alcoólatra que será para o resto da vida, será se quiser. Diferente com a diabete, infelizmente é uma doença que ainda não tem cura, mas ninguém more pela diabetes, mas sim com a diabetes, é uma doença que se controla. Mas, o fato da sua mãe ser diabética, não significa que você será, pode ser que sim, pode ser que não. A chance é maior, e o excesso de peso, principalmente por ingestão de doces, pode desencadear a patologia.

 

Hoje, as pessoas, que me conhecem não acreditam que sou ex fumante (na verdade, nem eu acredito). Meu pai fumava muito (continental, Hollywood), morreu com 45 anos, se estivesse vivo, hoje estaria com 64 anos, não viu nenhum dos seus netos. Eu gostaria de muito de ter meu pai por perto. Essa foi uma das razões que me fiz parar de fumar. Eu me viciei porque já nasci com o “gene” do vicio do tabaco? Pode ser que sim, afinal meu pai fumou, no quarto de dormir, enquanto eu estava na barriga da minha mãe. Mas porque meus outros dois irmãos nunca fumaram e minha mãe também não se viciou de tanto receber fumaça? São coisa que nós humanos, tentamos, mas não conseguimos explicar.

 

No entanto, seu eu fosse aceitar que: “meu pai era fumante, eu também serei”, eu não teria procurado tratamento e conseguido parar de fumar. Mas eu me preparei para parar de fumar, eu procurei tratamento, eu tomei os remédios, eu tive força de vontade, eu lutei para mudar a minha condição de fumante. Se não tivesse feito nada disso, eu não teria conseguido.

 

Eu me lembrei disso, porque liguei um celular antigo, que estava parado e vi uma frase rolando na tela dele  “eu parei de fumar”. Foi uma frase que eu coloquei, em 2008, para me condicionar a parar de fumar. Eu escrevi a mesma frase, durante uns três anos, todos os dias, em todas as páginas da minha agenda de papel (você conhece?? um dia se usou agenda de papel). Os estudiosos dizem que essa atitude condiciona a nossa mente: frase positiva e repetitiva. A frase tem que ser “eu parei de fumar” e não “eu vou parar de fumar” ou “eu não fumo mais”. Tem gente que dá risadas desse tipo de atitude, mas é óbvio, que essa pessoa nunca conseguiu ir até o fim com esse método, para antes. Que tal usar: eu sou magra?

 

É fácil? não, não é. Mas eu consegui, você também consegue.

 

Da mesma forma, eu sempre quis ser magra. Eu nunca aceitei a condição de gordinha. Mas sempre gostei de comer. E pode acreditar, é a comida que engorda. Hoje eu acredito nisso e defendo isso. Mas também, como muitos gordinhos, ficava revoltada com isso. Eu queria emagrecer comendo. Comer é muito bom, é bom demais, é tão bom, que acabamos exagerando e por isso engordamos.

 

Sempre fiz atividade física, mas daquelas que caminhava duas horas e nunca se cansava, pois, passeava. Outra coisa que ficava revoltada, pois não queria aumentar a minha atividade física. Eu nunca quis suar, nunca quis ir além do meu limite. A atividade física, para mim, nunca serviu para queimar calorias, mas apenas para manter a minha saúde, mais ou menos controlada.

 

Outra coisa que é mentira deslavada: “nem todo gordinho tem exames de sangue ruim”, “nem todo gordinho tem problema de saúde”. Gente, preste atenção. Os estudos estão aí, você pode não ter hoje, que tem 20/30 anos. Mas faça quarenta, ou melhor, não deixe chegar aos quarenta para ver os problemas começarem. E, as dores nas articulações? Eu sempre tive uma dor no joelho, que todos os médicos falavam que era excesso de peso, eu tinha vontade mata-los, pois com certeza eu sei mais que os médicos que estavam me diagnosticando, e não foi só um que falou isso. Milagrosamente hoje não tenho mais dores no joelho, acho que era direito, nem me lembro mais.

 

Tudo isso amigos, para dizer, que se eu consegui vocês também conseguem.  A jornada é longa e dolorosa, mas se você continuar firme nela, você não se arrependerá, pois a vitória é sensacional.

 

E, não seria eu se terminasse assim, sem tentar mostrar para você, que me lê, que Deus é grandioso e faz maravilhas. Você sabe, não é? E, porque insiste em ir contra isso?? Porque não deixa Ele agir na sua vida??? Tenha certeza que é você que não deixa, Deus quer. Dê uma chance a você.

 

Assista: O Peregrino – Uma Jornada Para o Céu. E, use o que você aprender em todas as fase da sua vida.

 

 

Seja a diferença hoje, faça VOCÊ a diferença. Há coisas que você não poderá mudar, como o fato de que Deus é Deus, e que você é filho dele. Mas há muitas outras que podemos mudar, tenha fé.

 

Um dia abençoado e magro para você.

 

assinatura-blog_thumb_thumb_thumb